terça-feira, 18 de agosto de 2015

Suplemento para ganhar massa pode ser trocado por alimentos

Substituição chega a custar ate 7 vezes menos, é mais saudável e dá efeito parecido.


Whey protein, albumina, maltodextrina ... quem usa suplementos pra ganho de massa muscular sabe que a compra desses itens,muitas vezes, requer uma ginástica no orçamento. Em tempos de crise financeira,substituir os produtos por alimentos comuns da dieta pode proporcionar no bolso uma diferença de 354%, no caso daqueles a base de proteínas, ou de 669%, nos de carboidratos, sem comprometer os resultados. A saúde agradece: a troca permite o consumo de nutrientes importantes e reduz os ricos de alergia e intolerância aos aditivos o de sobre carga para o organismo.
Apesar desses benefícios, suplementos ainda apresenta  certas vantagens sobre alimentos em termo de efeito na hipertrofia, por conterem compostos isolados ou concentrados e oferecem precisão na dosagem. Por isso, ao optar pela substituição e essencial escolher bem qual será a fonte do nutriente, para que a equivalência seja a melhor possível, e contar com a orientação de um especialista. 

De acordo com a nutricionista Natália Eudes, membro da SOCIEDADE INTERNACIONAL DE NUTRIÇÃO ESPORTIVA, cada proteína possuem uma propriedade funcional ( ação no corpo ), e alimentos diferentes apresentam composições proteicas diferentes.

"Para ganhos muscular, a proteína do soro do leite é superior, e a ricota é o queijo produzido a partir dela". Diz Natália.

EXCESSO É ARRISCADO 


Suplementos é indicado no caso em que é preciso suprir uma demanda aumentada na dieta. Assim, devem ser usado sempre com prescrição, segundo a nutricionista clinica esportiva Andreia Zaccaro de Barros, PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA ESPORTIVA, esses produtos jamais podem substituir uma alimentação balanceada. 

"Fazer isso pode provocar carência de outros nutrientes, principalmente vitaminas e minerais". Alerta a nutricionista.

Tomar suplementos sem comer corretamente é "jogar dinheiro fora", afirma endocrinologista Alexandre Hohl, Presidente da sociedade Brasileira de endocrinologia e metabologia. O excesso dessas substancias podem sobrecarregar o fígado, rins e lesionar os dois órgãos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário